Navigation

Análise: Demon’s Crest (Super Nintendo)

GAME: Demon’s Crest
ANO: 1994
PRODUTORA: CAPCOM
ESTILO: Ação/Aventura
PLATAFORMA: Super Nintendo (SNES)
PLAYERS: 1 jogador
PASSWORD: sim
Não se assuste com a capa. Esse demônio com a cara de snoopdog é o heroizinho do game, os vilões são um pouquinho mais feios! Tinha bastante tempo que queria resenhar esse game, um dos meus favoritos do SNES, agora criei coragem, então vamos lá.

Esse jogaço criado pela capcom faz continuação ao não tão famoso Gargoyle’s Quest de nintendinho. Demon’s Crest (Demon Blaze no japan) continua a saga do gárgula chamado Fire Brand, que não é nada bonzinho, mas julgando o mundo dele ele fica sendo o “melhor” dentre os piores. A historia rola quando umas pedras mágicas caem na mão de um demônio mauzão ai, e o equilibrio do mundo vai acabar, etc etc etc. Tu entra na historia pra recuperar as pedras e manter o controle sobre o morro! (simplificando tudo)
Demon’s Crest é um game com um teor um tanto mais “adulto” pra época (meu amigo era evangélico e a mãe dele não deixava ele jogar) mas hoje em dia acho que passaria batido na mão de qualquer guri de prédio. O tema com seus demônios no mundo sobrenatural que querem invadir a terra (estilo yuyu hakusho) tambêm não tem mais a mesma cara de novidade de hoje. Se olharmos pro lado da historia, o jogo deixa a desejar, mas se olharmos por outro lado, gráficos, música, diversão, o jogo é impécavel!
O jogo é uma mistura bem balanceada de digamos, castlevania com elementos de rpg encima daquele clima ghoul’s and ghosts. Aliás, o personagem já deu as caras no game, sendo encontrado na primeira fase do jogo (ele é aquele sub-chefe chato pra kct). No começo já encontramos um inimigo bem hardcore no visual (mas fácil de matar).
O jogo possui várias fases e um sistema de mapinhas visto de cima que lembra act raiser ou final fantasy (quando você pega um dos barcos flutuantes). Não existe linearidade das fases, deixando você escolher por qual delas ir primeiro. É claro que alguns lugares só são acessados depois que você pega alguns itens, obrigando você a voltar para a fase pra acessar os lugares que antes não podia.
Alias o grande destaque desse jogo são as formas que você adquiri quando pega umas pedras mágicas. Cada uma te transforma em um gárgula diferente com poderes diferentes. No total são 6 formas diferentes que você vai usar nas fases de mato, agua, cavernas, castelos etc (tem uma cidade inclusa, que lembra muito castlevania II ).
Os inimigos são bem feitos e variados, num cenário a altura do jogo. Destaque para os chefes que as vezes dão um pouco de trabalho se você não souber qual o macete de cada um. Ao matar um você ganha um item, que pode aumentar o life, ou uma pergaminho que pode conter magias, potes pra guardar poções ou peças da armadura que te dão poderes secundários.
O jogo possui vários finais, senodo possivel zerar o game sem ter coletado tudo. No entanto o final de verdade só aparece quando você coleta todas as bugigangas das fazes. O que é o mais trabalhoso, lembro que faltava uns 2 itens pra eu terminar o jogo no modo full! Mais um atrativo depois que você acha que já fez tudo.
CURIOSIDADES:
* O personagem principal tem vários nomes durante a carreira, firebrand, red arremer e red demon são alguns deles.
* O personagem fez aparições em vários games de luta, entre eles SNK X CAPCOM (neo geo pocket, 1999) e NAMCO X CAMPCOM (playstation II, 2005)
* o jogo faz parte da série gargoyles quest (Atualmente abandonada)
Algumas imagens do nosso gárgula durante sua carreira:
 

 FONTE: http://ftwgames.wordpress.com/2010/01/30/analise-demons-crest-snes/
Share
Banner

Tiago Ferreira

Post A Comment:

0 comments: